quarta-feira, 20 de junho de 2018

Bem me quer, mal me quer

Sórdidos são os sorrisos que me abrem
Sujos de palavras rançosas
Que surgem do desatino de um imaginário doente e infeliz

Escarram para o alto
Uma pobreza inventada
Em um labor odioso
Para angariar a pena da falta de coragem.

Olha-me! Olha-me! - suplicam dolorosos
Esperando uma única palavra
Que os liberte de sua própria penalidade.

Esfregam-me na lama
Esperando que as flores do meu jardim
Venham sucumbir pétala por pétala.

Esquecem que as lágrimas
Regam um nascer de palavras que jamais morrem.



terça-feira, 5 de junho de 2018

O monge e a gratidão

Certa vez, um aprendiz caminhava com um monge pelo vale e de repente, deixou cair um livro.
Outra pessoa que passava por ali, recolheu o livro e o devolveu ao aprendiz.
Esse então, curvou-se diante do benfeitor e disse:
- Gratidão amigo.
O benfeitor acenou e seguiu caminho.
O monge, vendo a cena, perguntou:
- Vi que você usou a palavra gratidão para com aquele rapaz. O que é a gratidão para você?
O aprendiz, todo orgulhoso, então respondeu:
- É ser grato, mestre. Grato por tudo.
Então, o monge continuou caminhando em silêncio. O aprendiz respeitou o silêncio, andando ao lado do mestre.
Em determinado momento, o monge deixou escapar de sua mão, uma folha de papel. Uma mulher que ali passava, o recolheu e o entregou ao monge. Ele se curvou diante dela e disse:
- Gratidão. Há algo que eu possa fazer para você como forma de reconhecimento por sua gentileza?
Ela respondeu que não necessitava de nada. Ele acenou para a mesma e seguiu seu caminho.
Olhando para o horizonte, e com passos lentos e firmes, o monge falou:
- A gratidão é uma palavra derivada do latim gratitudinis que significa reconhecimento. Quando sentimos gratidão, há que se praticar o profundo reconhecimento à mesma altura do benefício que nos foi concedido, do contrário, poderemos correr o risco de perder seu verdadeiro propósito. Não basta ter o reconhecimento intelectual, cognitivo. Não basta agradecer, dar graças à alguém que lhe fez algo bom. Precisamos buscar o vínculo, o comprometimento com as pessoas que nos são alento. Só assim, a gratidão passará a ressoar no seu verdadeiro e profundo sentido.




quinta-feira, 8 de março de 2018

Per a/feição.

Quantas vezes ouvi dizer que a perfeição não existe...
Eu tento acreditar, mas logo vejo a mulher.
Essa que vira templo de vida e que espera amadurecer dentro de si o filho que a fará entender profundamente a sua magnitude.
Essa que chora o seio ferido e em seguida sorri o sorriso de um bebê bem alimentado.
Sim, ela é perfeita.
É como a rosa, tem seu perfume, tem seus espinhos... Tem tudo o que precisa, nem mais, nem menos.
Vai dizer que não é perfeito o olhar de uma mãe que desperta de madrugada e olha pela janela, na ansiedade de ter o filho baladeiro são e salvo dentro de casa?
E o que dizer da menina mulher, que chora o amor não correspondido, que devora uma barra de chocolate e que depois ri de si mesma?
Tem também a esposa que afaga o ombro do marido dizendo que tudo vai dar certo. Ela que acalma com um beijo toda insegurança, toda dor, toda angústia, mesmo que para isso, engula suas próprias inseguranças, dores e angústias.
Tem aquela que nasceu para ser mulher e que enfrenta todo preconceito em prol da paz de sua alma.
O fogo é imperfeito só porque ele queima? E o que dizer de sua luz?
O céu desaba tempestades, é verdade, mas a água vem junto e dela bebemos.
Tudo é como tem que ser.
A mulher foi feita para ser o sinônimo de virtude, afeto e carinho.
Perfeição. Per afeição. Para afeição.
Pense nisso.





terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Para ela

Amor materializado
Leveza, pureza, doçura
Alguém que carrego além do ventre, muito além, na alma
No coração, neste coração pequeno transbordado de alegria
A menina que virá ensinar, aprender e com a graça de Deus, crescer feliz, sempre feliz.



domingo, 31 de dezembro de 2017

Hac hōra

Último dia do ano. É comum ver as pessoas fazendo retrospectivas, elencando todos os acontecimentos bons e ruins. Olham para trás lamentando ou glorificando, entorpecendo-se de saudades ou mágoas, de gratidões tardias ou de revoltas velhas. Nada contra, afinal, cada coração pede uma reflexão diferente.
Mas hoje... Hoje eu quero olhar para o aqui e agora. Quero contemplar esse dia nublado, calmo e fresco. Nada de novo ou extraordinário vai acontecer. É só mais um dia que se renova, é só mais um ano que chega como tantos outros. As expectativas nunca mudam: "tomara que o próximo ano seja melhor que esse". Enquanto fogos estarão explodindo no céu, estrelas continuarão o pisca pisca de sempre. A Lua dará o ar da graça à licença das nuvens. Talvez o céu precipite... Esse é o show de todo dia, e o camarote é teu quintal.
Sim, faça suas promessas, suas simpatias, jogue ao universo suas intenções e energias, porém, saiba, se tem algo que você queira muito, um dia apenas não é suficiente. As suas esperanças precisam estar em harmonia com suas ações. Seus pensamentos precisam sedimentar como rochas pesadas o suficiente para não te deixar esquecer dos seus objetivos todos os dias. Se quer amor, seja amor. Se quer paz, seja paz. Se quer dinheiro, seja dedicação. Se a cada manhã que lhe for concedida você souber o que realmente quer, então, a cada passo estará mais perto. O agora, do latim hac hōra, significa esta hora. Esta hora deve ser o seu palco. Esta hora deve ser sua oportunidade. Esta hora, e todas as horas que lhe forem permitidas viver.
E já que passado não se muda e futuro não se sabe, agora é hora de ser o que se quer ser e de fazer o que se quer fazer. 
2018 está aí, quase chegando, faltam algumas horas. 
E aí, o que está fazendo hac hōra por teus sonhos?

Lya Gram

Resultado de imagem para hoje

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Coquetel de Lançamento São Tantas Vozes

Bom dia queridos leitores!
Ontem foi uma noite muito especial. O coquetel de lançamento feito no Cyber Café da APVE foi uma alegria. Pessoas especiais marcaram esse dia para sempre. Quero muito agradecer a Alessandra e a diretoria cultural da APVE por ter aberto esse espaço, ao Alexandre da Cantina que providenciou os deliciosos salgadinhos oferecidos no coquetel, ao prefaciador André Kondo que não pôde estar presente mas que abrilhantou com suas palavras o meu novo livro, a todas as pessoas que puderam presenciar esse momento especial da minha vida literária, muito obrigada!
Que Deus permita mais momentos como esse!

Confira abaixo as fotos do evento:


Alexandre e sua linda filha Yasmin:


Eu e meu bambino:







Meu caixa, fotógrafo e afins:




O melhor marido:


Eu e Nídia, amiga de longa data:



Eu e o futuro afilhadinho:


A mais nova mamãe do pedaço:


Mamãe e suas crias:


O querido escritor de histórias infantis Marcelo:


A Mara-vilhosa, idealizadora do guarda-roupa sustentável:



Dr. Héctor, presidente da Academia Joseense de Letras:


Queridos padrinhos de casório Helen e Nicolau:


Da esq. para direita a família Graminho Henrique, eu, Ana Lúcia e Eloy:


Escritora Dila Bento e sua simpática irmã:




Os queridos do grupo Litheratrupe:


Da esq. para direita a escritora Lili Oliveira, escritora Drika Yar e escritor Geraldo Rosa:






Eu e Lili, mana número 1.



Queridíssima Silmara, as mãos de fada!!




quinta-feira, 30 de novembro de 2017

19° Festa do Livro da USP - SP

Bom dia leitores!

Foi com uma imensa alegria que estive na 19°Festa do Livro da USP- SP a convite do querido editor e escritor André Kondo da Telucazu Edições. Foi incrível ver a movimentação e o sucesso do evento. Todos os livros expostos lá estão com 50% de desconto (incluindo o meu São Tantas Vozes, na tenda amarela, box 47 junto da editora Barbatana). Vi pessoas saindo com malas e malas de livros, aproveitando a fundo a oportunidade de mergulhar na literatura. Que venham mais iniciativas como essa. Grata a Deus por tudo!