quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Convite - Lançamento do novo livro de contos São Tantas Vozes

Bom dia, queridos leitores.

É com uma alegria enorme que venho convidá-los a presenciar um momento especial em minha vida literária: minha iniciação na prosa.
Todo o processo de criação desse livro foi permeado por muita dedicação e, principalmente, amor.
Poder compartilhar essas "vozes" com vocês é uma dádiva.
Abração,

Lya Gram


domingo, 29 de outubro de 2017

Selecionados - Semana de Arte e Literatura Eugênia Sereno

Bom dia, queridos leitores!

Na semana de Arte e Literatura Eugênia Sereno em São Bento do Sapucaí, lancei o desafio aos visitantes para que interagissem com os potes poéticos da exposição Litheratrupe, escrevendo poesias.
O resultado foi maravilhoso!
Quero agradecer a todos que se dispuseram a mergulhar na poesia e deixar o evento ainda mais brilhante.

Confira os selecionados:

Viviane Gagaus


Gustavo Assis

Poesia:
No silêncio me encontro; me descubro no silêncio.
Escuto a voz do "nada" e me sinto agora "tudo";
Quieto me observo, calado eu aprendo, somente em nada falar
Parece que tudo entendo.


Victor Nunes

Menção honrosa:

Maria Aparecida Ferreira

Parabéns!

Um forte abraço!

Lya Gram







quinta-feira, 5 de outubro de 2017

33 Festival de Poesia de Cornélio Procópio

Bom dia queridos leitores.
É com imensa alegria que recebi a notícia de que fui classificada no 33 Festival Poético de Cornélio Procópio.
Sinal de que os sonhos foram feitos para serem realizados! GRATIDÃO!

Resultado de imagem para 33º festival poético cornélio procópio

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

A paz

A paz não é apenas um estado de espírito
É um estado concreto onde canções harmônicas
Violinos, harpas e pianos
Abafam os sons superficiais das iniquidades
E os olhos são primaveras constantes
Azaleias, lírios e violetas
Floridas nos cantos mais secos
Mais densos, mais escuros.

A paz se revela nas manhãs
E se estende até o dia seguinte
E o outro, e o outro
Pois basta viver para ser feliz.

Na paz, o desânimo não se cria
O ânimo não se perde
A esperança não sucumbe.

Porque uma vez conquistada
A sua doçura passa a ser perseguida
E perpetuada
E defendida.

Resultado de imagem para paz

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Falácia

Não sou de sussurros e nem de segredos.
Não me conte algo em baixo tom,
Pois sei, que se é escondido, na miúda
Não pode resultar em algo bom.

Venha de peito aberto
Fale alto, fale a verdade
Saiba, quero sempre por perto
Quem tem pacto com a sinceridade.

Mas se a mentira tropeçar em mim
Derrubando-me por palavras tortas
Levantarei quieta, assim
Escutando o bater das portas.

Há quem me goste, há quem me odeie
Há quem tem dúvidas e há a intriga
Mas não há fogo que se incendeie
Quando há mais fé do que ferida.

Parco amor não me interessa
Disso o mundo está cheio
Sou difícil, tenho pressa
De ver o amor que tanto anseio.

Há um movimento em curso
Muito maior que eu ou você
O amor não pode ser último recurso
Ou Dele pode esquecer!

Não sou perfeita
E quem o é?
Só me aceita
Quem quiser.

Eu tenho uma certeza,
E não é da morte não
A pureza sempre vence
E amordaça o falastrão.








quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Instinto Extinto

Nem todos os silêncios são meus.
Alguns são do sexto sentido
Que desperta sem pedir licença
E rechaça uma confiança frágil.

Interpreto os momentos hiatos
Como medos ocultos
E julgamentos pobres.

Já não há mais dúvidas.
O sexto sentido se foi
À luz da certeza.

Agora resta observar
Do lado de cá
A "pureza" arquitetada
A "bondade" cobrada
E o vazio erguido.