quarta-feira, 25 de novembro de 2015

A pombinha curiosa

Peguei um livro e acomodei-me na cadeira de plástico à sombra das árvores do parque.
A pombinha branca veio cautelosa saudar-me naquela tarde ensolarada.
Parei de ler a matéria sobre a importância de monitores nas salas de aula e fitei a ave simpática que vasculhava o chão perto dos meus pés. Me mantive imóvel afim de procurar qualquer forma de comunicação que pudesse explicar o motivo pelo qual aqueles olhinhos vermelhos me encaravam com tanta vontade.
Não consegui nada além da troca de olhares curiosos.
Ficamos contemplando a harmonia e a graça de saber dividir o mesmo espaço sem qualquer tipo de superioridade.
O som da pomba a descansar lembra o ronronar de gato, o que chega a ser um pouco irônico.
Dizem que as pombas são pragas...
Bem que eu gostaria de vê-las esparramadas por aí, pois essa seria uma grande prova de que homem e bicho finalmente conseguiram partilhar o espaço e respeitar a natureza individual e fantástica de cada ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário