sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Anjos no vento

Ahh noite serena
Tua brisa escapou pelo vão da porta
E tocou suavemente a minha face
Como se um anjo viesse acariciar meu sono
Prometendo lindos sonhos

A paz que me invade
Move todos os meus sentidos adormecidos
Num embalo maternal e protetor
De um amor manso e zeloso

A sensação de acolhimento
Dessa energia sublime e intensa
Me faz criança no ventre
Dessa Mãe Natureza verde de esperança

Ahh como eu amo o vento!
Este que carrega tudo e se mantém invisível
Leva pra longe o que tiver de ser
E deixa como legado a sensação de frescor

Este que bagunça os cabelos sem pedir licença
Desarrumando a sobriedade para ver brotar
Um lapso de sorriso

Este que abafa os incêndios da alma
Mostrando a força da leveza
No âmbito do sentir

Aos uivos do vento elevo o pensamento
Venham beijar-me com seus dons
Cantem suas canções em minha janela
Para ninar esta humilde donzela





Nenhum comentário:

Postar um comentário