domingo, 27 de dezembro de 2015

A orquestra é do maestro

Naquela tarde
Bach musicou para mim
Fiquei matutando...
A gente se engana quando pensa
Que sentimento não tem som

Ora, como podemos ser tão surdos?
Ou cegos?
Ou mudos?
Não há músicos no mundo?

O que eclode em mim quando
Um som penetra minha alma
É um turbilhão de vivências
Experimentadas em cada acorde

Fechei os olhos
Queria aguçar meus ouvidos
Sentir por apenas um sentido
A magia de cada estrofe
Notei as flautas
Passeei nas teclas do piano
Deslizei o arco no violoncelo
Rufei timbales
Estiquei-me por detrás da tuba

E então, só então
Percebi que todos se moviam
E harmonizavam
Ao comando de um homem
Um único homem
Disposto a doar
Todos os seus sentidos
Em prol do bem comum

 Maestro, ou mestre
Unificaste os talentos
Percebeste que todos eram importantes
Fez da música eternidade do teu ser
Teus passos se tornaram compassos
Desses que todos querem aprender
Vá para a luz
Mas deixe sua vitória
Continuará de longe
A ser maestro
De músicos
De sonhos
De memórias
De gente como eu
Gente grata
Pelo legado que tu
Humildemente proveste.


 







Nenhum comentário:

Postar um comentário