quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

A saga dos óculos perdidos

Estava tranquila até que peguei um livro
Meus olhos exprimiram-se incomodados
Para deleite das recém nascidas rugas
E injúria desta que vos relata os causos

Certamente fui atrás da solução
Pegar meu cúmplice, meu parceiro
Os óculos que me acompanham na vastidão
Das leituras que me levam ao mundo inteiro

Primeira parada: escritório!
Recanto de criação e museu particular de sabedoria
O danado sabe brincar de esconde esconde
Não estava lá... Onde estaria?

Lembrei da bolsa que carrego quando saio
Gato Félix teria inveja das minhas tralhas
Encontrei! Só que não...
Era apenas a caixinha vazia... Que raio!

Tá frio ou tá quente?
Não tem ninguém pra me ajudar!
Olhei até debaixo do tapete!
Chamei meu filho para conversar.

Filhote querido, viu os óculos da mamãe?
- Não, foram os do papai que peguei!
Onde você os colocou?
- Eu... eu... eu não sei!

Fui ao quarto dele e revirei o baú
Tirei todos os brinquedos de lá
Encontrei os óculos do Sr. Potato
Mas os meus não consegui encontrar.

Não sei o que fazer...
Como pode ter sumido assim?
Onde será que fui esquecer?
Então uma luz acendeu em mim!

Quando fui ao cabeleireiro
Lya Luft me acompanhou
Terminei o livro inteiro
No tempo que o tratamento durou!

Busquei o telefone
Mas já era tarde para ligar
A situação me deixou insone
Não consigo esperar!

Pedi ao meu marido
Que mandasse via face uma mensagem
Na página do salão referido
Onde fiz a tal selagem

Então decidi dormir.
Deixei o livro na cabeceira
Apaguei o abajour
E esperei a noite inteira

Os pássaros mal acordaram
E eu já estava de pé
Revirando mais e mais lugares
Na abundância da minha fé

Meu marido entrou na rede social
Tinha uma resposta do salão:
- Vou perguntar para o meu pessoal,
Mas não lembro de tê-los visto aqui não!

Sem muita esperança
Liguei na casa do meu pai
Essa é a última chance
Ou é mais um óculos que se vai.

Com a voz rouca a mana atendeu
Perguntei e prontamente ela respondeu:
- Vou lá dar uma olhada (passou algum tempo)
- Está aqui, na cabeceira da mãe você esqueceu!

FIM

Obs.: O livro está me cobrando
          Tentei dar uma espiadinha
          Não vou trair meus óculos!
          E o guardei na escrivaninha.    



Um comentário:

  1. Eu também perdi meus óculos, ainda estava pagando, deixei na fisioterapia, que absurdo, roubam até óculos de grau, fique com raiva e daqui pra frente só vou usar óculos barato de farmácia. rsrsrs

    ResponderExcluir