segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Meu filho é magro e ponto!

Meu filho é uma criança saudável, alegre e não... ele não implora por brócolis como na propaganda da tv (o que está dentro do normal). O que vejo acontecer com muita frequência (inclusive dentro do meu nicho familiar) é muita gente condenando o biotipo da criança magra como sendo consequência da desnutrição advinda falha da mãe em alimentar o filho corretamente (porque o pai é eximido da responsabilidade nessa sociedade tipicamente machista). 
Não existe nenhum tipo de ajuda prática que venha somar positivamente a conta das mães que têm dificuldade em alimentar os filhos, ao contrário, elas são deliberadamente condenadas, têm questionadas as habilidades maternas e são bombardeadas de culpa. 
Há algumas coisas que precisam ser ressaltadas para chegar ao denominador comum da questão:

1 - Biotipo. 

Sempre fui uma criança magra e nem me lembro quantas vezes tomei vitaminas, sopas calóricas, gemadas, etc tudo para ver se eu engordava. Conclusão: Nunca engordei! Sempre fui a criança mirradinha, de pernas e braços finos. Comia de tudo, nas proporções que meu estômago aguentava. Até hoje há quem pense que como pouco ( o que para mim, não é verdade). 

2 - Paladar

Todo alimento possui vitaminas e minerais e a diversificação é o caminho para manter uma dieta equilibrada. Mas o fato é que desenvolvemos desde cedo um paladar peculiar a cada experiência e não gostar disso ou daquilo faz parte da unicidade de cada um. No caso de crianças, estudos apontam que é preciso apresentar o mesmo alimento dez vezes para que ela o aceite. Isso leva tempo, leva paciência, leva jeitinho. Apressar esse processo pode arruinar o resultado. A mãe sabe disso! Os de fora é que não sabem!

3 - Rotina

A criança é movida a rotina! Tem horário para tudo e gosta de estar no seu ambiente, sente-se confortável no seu cantinho, com seus brinquedos, seu lugar à mesa. Obviamente que na casa da vovó, no restaurante, ou em qualquer lugar que não seja a própria casa ela vai querer fazer diferente. Vai querer explorar o ambiente, absorver informações e comer com certeza será sua última opção já que envolve concentração e disciplina. Portanto ficar fazendo drama em cima disso é simplesmente inútil e cansativo.

Dito isso tudo, concluo que cada um teve ou terá oportunidade de criar os próprios filhos e ninguém foi ou será isento de dificuldades. Mas cabe aos pais abraçarem a missão de cuidar do desenvolvimento de seus filhos e tenha certeza, opiniões alheias serão muito bem vindas quando solicitadas, caso contrário, podem se tornar inconvenientes, deselegantes e desagradáveis. Pense nisso!

Obs.: Quer ajudar no combate a fome e outros assuntos? Veja no link abaixo uma lista de Ong's no Brasil onde seu empenho fará realmente a diferença:

http://www.ongsbrasil.com.br/









Nenhum comentário:

Postar um comentário