terça-feira, 12 de janeiro de 2016

A vida e o sapato

Às vezes eu comparo a vida com o sapato.
Somos como cadarço, nascemos para um propósito que normalmente se revela lá no final do nosso curso. Traçamos nossos objetivos e, vez ou outra, acertamos o buraco (representação das vitórias ao longo do caminho) outras vezes, nos retorcemos e damos voltas para encontrar a próxima saída. Vamos cruzando com o outro lado do cadarço, esbarrando nas pessoas que deixarão em nós um pouco delas e elas partirão com um pouco de nós. Seguimos costurando metas e objetivos afim de garantir nosso sustento e o de quem amamos. Algumas vezes pulamos uns buracos, trocamos a razão pela emoção de viver a plenitude da liberdade. Deixamos o pé mais frouxo, porém, mais confortável. E assim vamos construindo o que se chama destino. E finalmente quando vencemos e chegamos ao topo do que sonhávamos, recebemos um grande nó e para que ele seja possível, é também usado o outro lado do cadarço. Sendo assim, nunca chegamos aonde quer que seja sozinhos. Precisamos uns dos outros para fazer a vida acontecer.
E para finalizar, quando viramos o nó, quando nos respeitamos ao ponto de virarmos um só, somos levados pelos pés Daquele que a vida inteira nos manuseou. E quando esse momento chega, é aí que começamos a viver!

Nenhum comentário:

Postar um comentário