segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Mulher traída

Homens canalhas ela conheceu
Apaixonou, chorou
Levou o fora, entristeceu
Tomou o vinho, perdoou

Ele liga vez ou outra
Cinema em casa, ela topa
No outro dia ele some
No edredom ela se entoca

Acorda menina!
Sacode essa poeira!
Diz a melhor amiga
A maquiar-lhe a olheira

Mas ele é minha vida!
Retruca a paixão cega
Sem notar a ferida
Que a lágrima não nega

O celular apitou
Ela sente estremecer
O cara então avisou
Sinto não poder te ver!

Ela diz estar cansada
De homens escorregadios
Que não se prendem a nada
Que ao amor são arredios

A amiga então protesta:
Dê um gelo no dito cujo!
Ele já provou que não presta!
Saia desse jogo sujo!

Então elas se arrumam
Decidem ir ao barzinho
Ao adentrarem o local
Adivinhe quem não está sozinho?

Eis o cara de pau
A beijar moça estonteante
Irônico ele faz um tchau
Num gesto petulante

Ele não vale nada!
Diz a melhor amiga
Não vou assistir calada!
Diz a mulher traída

Boa noite meu querido!
Essa é sua mãezinha?
Parecia tão entristecido
Pela doença da coitadinha...

Seu Pinóquio mentiroso!
Destruidor de dignidade alheia!
Está aí dando um de gostoso
Quando nu é uma baleia!

O cara encabulado
Não sabia o que dizer
Restou ficar calado
Para não contradizer

Teu celular está deletado!
Não me procure mais!
Pobre moça do teu lado...
Encontrou príncipe errado...

A acompanhante então levanta
Joga o vinho no homem safado
Vira amiga da mulher traída
E sai rindo do cara molhado

A mulher traída desabafa:
Meu Deus, como fui tonta!
A outra aliviada:

Ao menos ele ficou com a conta!


Nenhum comentário:

Postar um comentário