quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Vidente Amigo

Às vezes não importa o que sinto
Apenas o que transpareço
Pois se algum tropeço
É visto por alguém
E esse alguém interpreta
Como um recomeço
Então levantarei
E caminharei
E esse alguém se tornará
Vidente da minha sorte
Por ter me livrado da morte
De permanecer no chão
Quando ainda ali
Batia meu coração
E se algum dia
O palpitar cessar
Ainda assim
Não há razão para chorar
Pois meus olhos um dia viram
Esse vidente amigo
A estender a sua mão
A enxergar esperança
Onde havia desilusão
E por ele
E para ele
Terei vencido
Para simplesmente ser
Outro vidente amigo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário