terça-feira, 17 de maio de 2016

Que assim seja.

Que eu seja amor quando me guardarem rancor.
Que eu perdoe palavras ferrenhas
E que me perdoem os defeitos
Nascidos de dores mal curadas.

Que meus instantes gravem amor.
Que meu silêncio dê espaço à voz de Deus.
Que a minha distância seja apenas carnal
Posto que o essencial
Vem da alma.

Que as minhas feridas não sejam motivo para ferir.
Que as minhas mágoas não apaguem os momentos bons.
Que eu possa fazer da minha passagem 
O melhor que um caminhante pode fazer
Diante das bagagens que lhe são conferidas.

Que meu escudo seja pacífico.
Que todo amor se dirija a mim fundado na verdade
Que me sobre carinho onde faltar amizade.

Que o Céu mostre a verdade
Cegamente incompreendida por quem
Apenas quer da vida
O que os olhos podem ver.

Que os anjos que circundam minha aura
Carreguem os dons necessários
Para revelar oportunamente
O tudo que desejo em minha mente
A eterna paz de uma calma
Capaz de curar qualquer coração dormente.









Nenhum comentário:

Postar um comentário