sábado, 24 de dezembro de 2016

Necessidade da Caridade Segundo São Paulo

"Ainda que eu falasse todas as línguas dos homens, e mesmo a língua dos anjos, se não tivesse caridade não seria senão como um bronze sonante, e um címbalo retumbante; e quando eu tivesse o dom de profecia, penetrasse todos os mistérios, e tivesse uma perfeita ciência de todas as coisas; quando tivesse ainda toda fé possível, até transportar as montanhas, se não tivesse a caridade eu nada seria. E quando tivesse distribuído meus bens para alimentar os pobres, e tivesse entregue meu corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, tudo isso não me serviria de nada.

A caridade é paciente; é doce e benfazeja;a caridade não é invejosa; não é temerária e precipitada; não se enche de orgulho; não é desdenhosa; não procura seus próprios interesses; não se melindra e não se irrita com nada; não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas regozija com a verdade; tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre".

(São Paulo, Primeira Epístola aos Coríntios, cap. XIII, v. de 1 a 7 e 13)

Bom dia leitores!
Hoje pedi licença à São Paulo e trouxe essas belíssimas palavras para uma reflexão.
Caridade... Já parou para pensar que a caridade pode ter diversas interpretações?
Isso acontece porque cada um carrega dentro de si uma bagagem emocional e cultural diferente. Nenhum tipo de doação é melhor que outra, pois todas são complementares entre si.
Na minha opinião, ser caridoso é doar-SE sem distinção, desde que o objetivo disso seja sem objetivo. Entende?
Todos nós somos conscientes das verdades que nos fazem agir dessa ou daquela maneira. De certa forma, sabemos ou ao menos, pressupomos onde queremos chegar.
O caridoso não sabe que é caridoso, porque age instintivamente. Aliás, as pessoas mais bondosas que pude conhecer tinham baixíssima auto estima, porém, não tinham vergonha de expôr seus erros e anseios - isso é humildade. A humildade nada tem a ver com posses, mas sim, com caráter.
Temos que aprender a falar dos nossos erros sem medo, mas ao invés disso, falamos dos erros do outro. Temos medo do julgamento alheio, quando, na verdade, já fomos condenados pelo nosso próprio julgamento. Os erros fazem parte da evolução. Assumir os nossos próprios defeitos é ser caridoso com quem também os tem. É encorajar o próximo a olhar para si. É ensinar, de certa forma, a se amar, se cuidar, crescer  para"amar o próximo como a ti mesmo".

A caridade é paciente; é doce e benfazeja;a caridade não é invejosa; não é temerária e precipitada; não se enche de orgulho; não é desdenhosa; não procura seus próprios interesses; não se melindra e não se irrita com nada; não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas regozija com a verdade; tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre".

Não há como alcançar as missões acima se não soubermos antes olhar para nós. Leve o tempo que for preciso, mas saiba olhar para dentro de si com misericórdia. Não é para se encher de culpa, mas para aprender a se amar com a sua unicidade. Seja caridoso consigo mesmo. Veja em quê o outro te incomoda, e volte para si - certamente irá se surpreender ao ver que vocês são iguais! Mude, mude o tempo todo. Experimente o novo, mesmo nas pequenas coisas. Absorva a VIDA do VIVER.
Vão dizer que você é inconstante e você vai dizer amém com alegria!

O Natal chegou, e em nome de Jesus eu desejo que você receba SABEDORIA para transpassar barreiras, SAÚDE para aproveitar os dias, CORAGEM para mudar o que tiver que mudar, FELICIDADE para fazer valer a pena e AMOR para alcançar a eternidade de PAZ.

FELIZ NATAL!!!!

Resultado de imagem para olhar para dentro de si

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Revista Visão Vale - Edição de Novembro

Bom dia leitores!
Esta semana eu me encontrei com o grupo Litheratrupe para mais uma ação em prol do bem e recebi da querida Rita Elisa Seda a revista Visão Vale, edição de Novembro, e para minha gratidão, a própria Rita cedeu seu espaço para divulgar meu livro e minha poesia.
Quero registrar aqui o meu muito obrigada à essa pessoa maravilhosa por dentro e por fora que é Rita Elisa, nossa mentora literária.



Clique no link a seguir para conhecer Rita Elisa Seda: http://palavrasdeseda.blogspot.com.br/


sábado, 10 de dezembro de 2016

Presépio de Natal

Uma caixa de papelão
E um desejo no coração
Trazer pra dentro de casa uma Luz
Emanada pela presença de Jesus

Ele que no meio dos Reis
Tão pequenino já carregava imenso poder
Conquistou o coração de um, dois, três...
Hoje são tantos que nem sei dizer!

Eis a Sagrada Família
Munida de verdade, amor e paz
Ensinando que a verdadeira vigília
Vem de uma fé que nunca se desfaz.

A chama no meio é a Luz do Mundo
Essa que brilha em todo coração
Transformando o solo infértil em fecundo
Em todo aquele que cultiva o perdão.

Divino Espírito Santo
Também desceu ali
Para louvar com todo encanto
O grande filho de Davi

É preciso amar
Amar como Jesus
Que morreu para nos salvar
Pregado em uma Cruz

A tarefa é difícil
É preciso se entregar
Sem medo, sem julgamento, sem vício
Sem interesse, sem nada cobrar.

Eis o Seu presépio
Um cantinho em Sua memória
Para levar adiante
O segredo da Vitória.














Vibrações de Cristo

Jesus, nunca soube direito se lhe dirigia como Irmão ou como Pai.
Você nos mostrou o caminho como Pai, mas nos permitiu chamar Sua Mãe de Nossa Mãe, e Seu Pai de Nosso Pai, se fazendo assim, nosso Irmão. E olha que como Pai e como Irmão, Você tem uma paciência de jó comigo, pois sempre perdoa meus erros!
Sabe... Hoje eu fiquei pensando em duas coisas sobre o mesmo tema: o amor.
João 13:34 - Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei a vós.
Essa é a meta que nos foi dada, nesta e em todas as existências. Sim, porque, Seu grau de amor por nós é de tamanha elevação, que é preciso muito mais que apenas uma existência para cumpri-la. Nossa mãe um dia me disse que era para ter calma, que tudo daria certo. Essa calma que se esvai no primeiro embate... Essa calma pouca, pequena que me faz condenar a mim mesma. Sei que meu caminho é longo, mas com Sua ajuda, intercedendo por mim junto ao Pai, saberei por onde andar.
Sua Luz, eu a vejo espalhada por aí. Seu amor, eu o vejo a todo instante. Sua paz cresce verde nas montanhas e nos sorrisos sinceros. Sua esperança é plantada todo dia como semente nos ventres acolhedores. Suas bênçãos se derramam pela água doce e o mar, penso que são as lágrimas que deixamos de chorar devido à Sua misericórdia. Sei que há um sentido maior, muito maior em tudo o que vemos e sentimos. Mesmo as dores, as enfermidades, as tristezas, as mágoas,... Isso tudo eu imagino que tem grande valor e também é parte do Seu amor. Ora, quem sabe isso tudo não seja apenas a Sua forma de nos fazer experimentar a misericórdia, tão santa?! Eu provavelmente não reconheceria um sofredor se não tivesse sofrido. Eu provavelmente não saberia confortar se não tivesse sido confortada. Eu não reconheceria a Luz se não tivesse passado pela escuridão.
Gratidão é o que me resta! Sabedoria é o que peço, pois só com ela saberei reconhecer as minhas falhas e arrepender para merecer o perdão.
LUZ, DIVINA LUZ, EM TUA SINTONIA EU VIBRO, EM TUA HARMONIA EU ENTRO! E QUE OS SANTOS ANJOS DIGAM AMÉM PARA TODO SEMPRE!






quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

PoeticaMENTE

E se a poesia for apenas
Breves fragmentos da alma
Se desprendendo do íntimo
Para encher o coração?

Quem sabe conste ali
Todas as existências
E todos os porquês.

Almas são vivazes
Complexas
Codificadas segundo a unicidade de cada um.

Posso ter nascido e morrido várias vezes
Mas há uma parte de mim
A mais singela e mais nobre
Que se derramou entre o tempo
E a eternidade.



















domingo, 4 de dezembro de 2016

Completude

Quantas vidas e quantas mortes
São necessárias para que a completude
Não seja assim tão distante?

Por que não basta a flor que nasce silenciosa
Em meio à grama descuidada?

Nós sempre tão perfeitos e tão insatisfeitos
Feitos de almas tristes e egos animalescos
Esfomeados de nossa insanidade.

Nós, sempre nós e a falta de tempo para o que nos fará falta...
O clichê é inevitável, mas o recado essencial.

A vida é uma piscina de borda infinita
Que transborda para novas existências
Todos os excessos

E enquanto a gente pensa que ainda falta algo
O destino sorri maduro a nossa inocência
Por saber que o que nos falta
É acreditar que já somos completos.


Resultado de imagem para piscina borda infinita