segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

O que somos

Somos obras perfeitas de escolhas imperfeitas.
Somos rastros de ideais sonhados
E capitães de um navio inexistente.
Somos o que supomos...

Somos como a nuvem
Que molda um coelho perfeito no céu
E que nunca haverá de ser coelho.

Quem haverá neste mundo
Acordar com a tal estima
Intacta, pura, casta?

Somos reféns das comparações cegas
Das provações insanas
Do ego.

Ego, palavra pequena
Vírus mortal de todo bom caráter.

Eis o que somos:
Adjetivos breves e nada mais.












Nenhum comentário:

Postar um comentário