quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Instinto Extinto

Nem todos os silêncios são meus.
Alguns são do sexto sentido
Que desperta sem pedir licença
E rechaça uma confiança frágil.

Interpreto os momentos hiatos
Como medos ocultos
E julgamentos pobres.

Já não há mais dúvidas.
O sexto sentido se foi
À luz da certeza.

Agora resta observar
Do lado de cá
A "pureza" arquitetada
A "bondade" cobrada
E o vazio erguido.