quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Notícias boas!

Boa noite queridos leitores!

Hoje quero compartilhar com vocês duas notícias muito bacanas.
A primeira, trata-se de um e-mail recebido da Chiado Editora com a aprovação de uma poesia minha para a antologia "Além da Terra, Além do Céu" que está em sua terceira edição e já é considerada uma das mais expressivas da editora.

A segunda, é que fui convocada para participar da FLIM - Festa Literomusical do Parque Vicentina Aranha sob a curadoria do escritor Marcelino Freire. A FLIM acontecerá nos dias 14, 15 e 16 de Setembro. Não percam!

terça-feira, 31 de julho de 2018

Prêmio Guarulhos de Literatura 2018

Boa tarde queridos leitores!

Ontem eu tive a grata surpresa de que meu livro "São Tantas Vozes", publicado pela Telucazu Editora, passou para a segunda fase do Prêmio Guarulhos de Literatura. Da mesma editora, concorrem "A peregrinação das folhas caídas" de André Kondo e "Frugais Transgressões" de Gilson Yoshioka. Estarei na torcida e independente do resultado, deixo minha gratidão ao idealizador do concurso, Auriel Filho, por nos dar a chance de mostrar nosso trabalho. Vida longa ao Prêmio Guarulhos de Literatura! Parabéns a todos os selecionados! Boa sorte para nós! :-)


quarta-feira, 25 de julho de 2018

Antologia Eterno Inverno - Editora Jogo de palavras

Boa noite queridos leitores!

É com grande alegria que recebi a notícia de que tive um texto selecionado para figurar na antologia Eterno Inverno da editora Jogo de Palavras. Essa antologia foi organizada por Érica de Oliveira e João Paulo Hergesel (ganhador do prêmio Barco a Vapor de Literatura 2018).
Para conhecer este belíssimo trabalho, acesse o link:

https://www.jogodepalavras.com/antologias.


quarta-feira, 20 de junho de 2018

Bem-me-quer, malmequer

Sórdidos são os sorrisos que me abrem
Sujos de palavras rançosas
Que surgem do desatino de um imaginário doente e infeliz

Escarram para o alto
Uma pobreza inventada
Em um labor odioso
Para angariar a pena da falta de coragem.

Olha-me! Olha-me! - suplicam dolorosos
Esperando uma única palavra
Que os liberte de sua própria penalidade.

Esfregam-me na lama
Esperando que as flores do meu jardim
Venham sucumbir pétala por pétala.

Esquecem que as lágrimas
Regam um nascer de palavras que jamais morrem.

Trecho do novo livro - Hermético (Em breve)



terça-feira, 5 de junho de 2018

O monge e a gratidão

Certa vez, um aprendiz caminhava com um monge pelo vale e de repente, deixou cair um livro.
Outra pessoa que passava por ali, recolheu o livro e o devolveu ao aprendiz.
Esse então, curvou-se diante do benfeitor e disse:
- Gratidão amigo.
O benfeitor acenou e seguiu caminho.
O monge, vendo a cena, perguntou:
- Vi que você usou a palavra gratidão para com aquele rapaz. O que é a gratidão para você?
O aprendiz, todo orgulhoso, então respondeu:
- É ser grato, mestre. Grato por tudo.
Então, o monge continuou caminhando em silêncio. O aprendiz respeitou o silêncio, andando ao lado do mestre.
Em determinado momento, o monge deixou escapar de sua mão, uma folha de papel. Uma mulher que ali passava, o recolheu e o entregou ao monge. Ele se curvou diante dela e disse:
- Gratidão. Há algo que eu possa fazer para você como forma de reconhecimento por sua gentileza?
Ela respondeu que não necessitava de nada. Ele acenou para a mesma e seguiu seu caminho.
Olhando para o horizonte, e com passos lentos e firmes, o monge falou:
- A gratidão é uma palavra derivada do latim gratitudinis que significa reconhecimento. Quando sentimos gratidão, há que se praticar o profundo reconhecimento à mesma altura do benefício que nos foi concedido, do contrário, poderemos correr o risco de perder seu verdadeiro propósito. Não basta ter o reconhecimento intelectual, cognitivo. Não basta agradecer, dar graças à alguém que lhe fez algo bom. Precisamos buscar o vínculo, o comprometimento com as pessoas que nos são alento. Só assim, a gratidão passará a ressoar no seu verdadeiro e profundo sentido.




quinta-feira, 8 de março de 2018

Per a/feição.

Quantas vezes ouvi dizer que a perfeição não existe...
Eu tento acreditar, mas logo vejo a mulher.
Essa que vira templo de vida e que espera amadurecer dentro de si o filho que a fará entender profundamente a sua magnitude.
Essa que chora o seio ferido e em seguida sorri o sorriso de um bebê bem alimentado.
Sim, ela é perfeita.
É como a rosa, tem seu perfume, tem seus espinhos... Tem tudo o que precisa, nem mais, nem menos.
Vai dizer que não é perfeito o olhar de uma mãe que desperta de madrugada e olha pela janela, na ansiedade de ter o filho baladeiro são e salvo dentro de casa?
E o que dizer da menina mulher, que chora o amor não correspondido, que devora uma barra de chocolate e que depois ri de si mesma?
Tem também a esposa que afaga o ombro do marido dizendo que tudo vai dar certo. Ela que acalma com um beijo toda insegurança, toda dor, toda angústia, mesmo que para isso, engula suas próprias inseguranças, dores e angústias.
Tem aquela que nasceu para ser mulher e que enfrenta todo preconceito em prol da paz de sua alma.
O fogo é imperfeito só porque ele queima? E o que dizer de sua luz?
O céu desaba tempestades, é verdade, mas a água vem junto e dela bebemos.
Tudo é como tem que ser.
A mulher foi feita para ser o sinônimo de virtude, afeto e carinho.
Perfeição. Per afeição. Para afeição.
Pense nisso.





terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Para ela

Amor materializado
Leveza, pureza, doçura
Alguém que carrego além do ventre, muito além, na alma
No coração, neste coração pequeno transbordado de alegria
A menina que virá ensinar, aprender e com a graça de Deus, crescer feliz, sempre feliz.