quarta-feira, 28 de abril de 2021

Lançamento: Os Anos Dourados do Colegial

 Boa noite queridos leitores! 

Há pouco tempo nós comemoramos o dia mundial do livro e para celebrar, decidi lançar um e-book que trata do período intenso e emocionante da adolescência nos anos 90. Baixe já sua amostra e divirta-se!

https://www.amazon.com.br/dp/B093RJDWV7/ref=mp_s_a_1_1?dchild=1&keywords=os+anos+dourados+do+colegial&qid=1619660136&sr=8-1




segunda-feira, 26 de abril de 2021

Quando cai o véu

Quando cai o véu, os olhos vislumbram o amor latente 

Quando cai o véu, a ignorância fica desnuda, envergonhada

Quando cai o véu, a inimizade é arrebatada

Quando cai o véu, o orgulho e a soberba encolhem

Quando cai o véu, o perdão nasce

Quando cai o véu, a falha deixa de ser do outro

Quando cai o véu, tudo é visto pelo seu real tamanho

Não nos enganemos nas turvas camadas de ilusões que nos cercam. Homens santos foram decapitados, crucificados por aqueles que se diziam portadores da sabedoria divina. Foram humilhados por viverem na verdade. Foram considerados subversivos, hereges, rebeldes, desobedientes, exclusivistas... Então o véu caiu. Os exaltados foram humilhados, não por outros, mas pior, por si mesmos. Tiveram de pular o abismo de sua própria arrogância. Então queridos amigos de jornada, deixemos cair os véus. Sejamos humildes e cautelosos em nossos juízos para não sermos nossos algozes. Não nos esqueçamos da lição dos lírios: 

Olhem os lírios do campo, que não trabalham nem tecem! E contudo nem Salomão em toda a sua glória se vestiu tão bem como eles. 

 


sábado, 24 de abril de 2021

A música de Cristo

 Boa noite queridos leitores. Esta semana nós tivemos o dia mundial do livro e para não deixar essa data tão importante passar em branco, resolvi fazer um vídeo com um conto que escrevi. Espero que vocês gostem. Um beijo!! Viva o livro e o cultivo dos sonhos bons!

A musica de Cristo



quarta-feira, 7 de abril de 2021

Quando há saudade

Hoje eu quero abraçar você que chora a saudade. Deixe-me envolver suas lágrimas com o afeto dessas palavras que vertem diretamente da alma. É verdade que o corpo pode morrer e junto dele, a voz, o tato, o toque... Mas há algo presente em toda vida que nunca se vai: o amor plantado. O amor vence todas as barreiras, ele é eterno. Ele é o címbalo que toca e liga o Céu e a Terra. Talvez essa dor que agora remexe as areias da tristeza pela ausência esteja tornando turva a água dos seus olhos. Porém, saiba que toda areia decanta em maré calma. E quando isso acontece, a vida se exibe majestosa e linda. A boa lembrança é assim. Ela emerge a vida do jeitinho que foi, mas agora, você a sente em toda plenitude. A roda de conversa no café da tarde nunca foi tão intensa como agora é. Todo detalhe se torna grande. A percepção aumentou porque agora a conversa é de alma para alma. Haverá o tempo em que você será capaz de sentir a presença querida dos seus afetos no coração sem qualquer tipo de pesar. Isso se dará porque a força do entendimento e da fé serão alicerçados a cada manhã vencida. Não tema o presente e nem o futuro. Toda grande estrada nasce de pequenos passos, e os seus, ainda que trôpegos, deverão rumar um lindo destino. Nenhuma solidão alcançará aquele que tem no mundo a fraternidade. Você jamais estará sozinho ou esquecido, pois já consta aqui, neste humilde pensamento desejoso de todo o bem em sua vida. Continue escrevendo a sua história, pois é você a memória viva dos teus laços. Receba de mim um afetuoso abraço em forma de palavras.