sexta-feira, 30 de abril de 2021

O correr das nascentes

Um rio se forma de minúscula nascente. Tudo o que hoje é grande, começou de alguma forma tímida, pequena, imperceptível talvez. Quem haverá de enxergar nas miudezas as grandezas de amanhã? Quem, coração puro e humilde, consegue enxergar nas grandezas tudo aquilo que se moldou nos tortuosos caminhos dos erros e da perseverança? 

Quando Cristo disse que não veio pelos justos, mas pelos errantes (graças a Deus)... Creio que em Seu lindo coração jaz uma esperança eterna na criatura humanamente divina, um olhar para a grandeza do que cada um pode vir a ser. É com essa fé que o Mestre se dirige a todos nós. E nós? Como nos dirigimos uns aos outros? 

O dia que conhecermos a fundo o real poder criador do pensamento, seremos mais cautelosos e justos para com todos. O dia que soubermos o quanto somos capazes de afetar o espaço límbico dos nossos irmãos, emitiremos sempre através da vontade de Deus Pai o desejo de vê-los cercados de amor. O dia que percebermos que nosso modo de vida não é melhor que o modo de vida do outro e que cada um está do jeito e no grau que precisa estar, não mais estaremos ansiosos por interferir-lhes os passos. Um mestre não aponta os erros, mas os ensinamentos diante deles. Um mestre conduz um ensinamento de dentro para fora, sem imposição, pois sabe que todo real aprendizado perpassa pela consciência e esta, só desperta depois de encontrar a Verdade. Um mestre só é chamado assim porque encontrou em si mesmo a chave para o bem viver e mesmo diante das tormentas, encontra força para erguer das cinzas a flor da sabedoria. O rastro de um mestre é necessariamente o da motivação, do empenho, da calma, da paciência, das virtudes. A lembrança de um mestre é cercada de gratidão.  

Sou grata pelos lampejos que me conduzem aos ensinamentos da vida, ainda que por vias dolorosas. Aliás, sou grata por todas as dores que tive de enfrentar, pois elas me conduziram a despertares definitivos. Sou grata aos Mestres, alguns conhecidos, outros nem sequer desconfiam que o são.  Dentro do meu coração eles possuem um elo dourado e puro, algo que sei, devo honrar.

Como um átomo que sou, uma mísera parte de um todo, seguirei no propósito firme de aprender. Quero abranger e saciar a fome que possuo de entender as faces do Amor de Deus. Que o Pai derrame neste grão errante a seiva da árvore da Vida e conduza palavras e ações. Que meu grão de mostarda não se acanhe diante das intempéries e que eu tenha coragem de tomar os cálices e passar pelas portas estreitas. Que a milícia celestial da cura e da iluminação possa amparar meus desígnios. 

Que a nascente das vidas se encontrem no mar sublime e amoroso do Criador e para sempre sejam fontes de paz e purificação. 





 

Nenhum comentário:

Postar um comentário