Postagens

Mostrando postagens de 2021

Somos heróis

Livros são professores bondosos que buscamos através do livre-arbítrio. Já o viver, com suas diversas nuances, nos desafia a todo instante. É como se estivéssemos percorrendo uma história e dentro dela surgissem mais e mais histórias. Se o foco não está legal, a gente vira personagem da história dos outros. E aos poucos, vamos nos esquecendo de nós. Então, despersonalizados e perdidos, nos tornamos nossos próprios algozes. Apontamos com facilidade os erros alheios, não porque estamos no caminho certo, mas porque conhecemos muito bem o erro. Estamos nele. Conhecemos cada sensação de ruptura. E ao projetar isso no outro, não percebemos o nosso próprio grito de socorro. Isso ocorre porque ao esperar as melhores ações do outro, suas correções, ele se torna nosso espelho. Inconscientemente é: "Se ele conseguir, eu conseguirei". Mas, eu pergunto, quem escreve a história? Mais importante: por que escreve a história? Onde está sua essência? Quem ordena os fatos? Quem ordena os SENTIM

O que brota do coração

Imagem
           Em todo coração há uma semente capaz de brotar paraíso. Nem pés cansados, nem olhos tristes, nem as dores do caminho são capazes de retirar de dentro o que fora plantado antes de cada nascer. Vem do Criador, Amor Fonte, Consciência Suprema, cada centelha benéfica que circula o espírito humano. Vem Dele toda cura e toda paz. Sua grandeza vem justamente dessa partilha. Portanto, não pense que o amor se esgota. Não pense que você não merece o bem, pois foi o Bem que te fez rebento de luz, foi o Bem que te trouxe fio de esperança, pureza, doação, união. As falhas, os erros, as ignorâncias jamais cristalizarão, pois que são como ventos passageiros que bagunçam, mas que também varrem, reorganizam e remediados, semeiam ainda mais longe. Do peito de quem ama brotam rios mansos de ternura, que acalmam no mergulho de um abraço ou de gesto simples: um sorriso e um real desejo de bem-querer.  Ainda que o tumulto do mundo te apanhe, não deixe de confiar que és bem amparado. Ainda que te

Orai e vigiai

 Orai e vigiai, Cristo diz. O inimigo é astuto, é audacioso. Quando não te alcança, tenta alcançar e confundir os seus maiores afetos. Vigiai porque o inimigo é vigilante, é perseverante, é calculista. Vigiai porque você será provado, será testado, será tentado. Vigiai porque o inimigo vai tentar te desestabilizar, vai te subjugar e vai fazer de tudo para que você acredite ser desprezível. Vigiai para que você não caia na cilada da pedra de tropeço. Mantenha-se firme em oração. Ore por quem te quer o mal. Ore, mas ore muito! Enquanto tramam o teu mal, você estará convocando um exército de amor a seu favor. Você trará para o seu círculo de vivência a prática máxima da Lei de Deus e o Pai, que é perfeito e justo, honrará os teus esforços. Nunca se esqueça que um com Cristo é maioria. Ore para que o Senhor vá sondar os corações dos desafetos. Que vá esclarecer as dúvidas. Que vá curar as dores. Ore e peça para si sabedoria e o dom de perdoar. Se tua conduta é pautada no seu melhor, confie

Diálogo: Muito X Pouco

Imagem
  O aprendiz com semblante confuso indagou o Mestre: — Mestre, nós sabemos que devemos sempre buscar fazer o nosso melhor em tudo não é mesmo? — Sim, certamente! – respondeu o Mestre — Mas... E se o meu melhor for pouco? O Mestre então pegou um copo, colocou três dedos d´água dentro dele e perguntou: — Veja caro aprendiz, o que você diria do volume dentro deste copo, é muito ou pouco? O aprendiz segurou o copo em sua mão, avaliou o conteúdo e seguramente respondeu: — É pouco! Tem menos quantidade do que o copo pode abrigar. O Mestre então encheu uma garrafa d´água e pediu que o aprendiz o seguisse. Andaram na beira de uma estrada de ferro, onde alguns transeuntes se encontravam a descansar. De dentro de uma mochila o Mestre retirou alguns copos e distribuiu a água, onde cada copo acabou com cerca de três dedos d´água. Ofertou então a água aos transeuntes que a beberam satisfeitos e, agradecidos, seguiram a caminhada. O Mestre e o aprendiz ficaram ali por algum tempo,

Documentário Três Estranhos Idênticos - Ensaio sobre uma ciência desumana

Imagem
  Boa tarde, queridos leitores! Hoje eu assisti o documentário Três Estranhos Idênticos no Netflix e confesso que chorei de raiva e tristeza. Trata-se de um reencontro inesperado de três gêmeos separados na infância. Até aí a notícia é linda! O que estava por trás da separação porém, é de causar náuseas! Não vou contar com detalhes as tramas dessa história, pois espero que vocês não se detenham às minhas impressões e assistam para tirar suas próprias conclusões. Mas eu venho usar este espaço para dizer que a ciência sem humanidade deve ser sempre combatida e denunciada. Somos seres humanos dotados de múltiplas habilidades e se não soubermos progredir sem maiores danos ao meio ou aos semelhantes, então, nada nos separa da ignorância animal. Pensar que um ato tão generoso e lindo como a adoção pode ser usado para um estudo obscuro e perverso, mostra com toda clareza a importância de estarmos conscientes e despertos a TODO MOMENTO. Pensar nesses irmãos, ainda pequeninos, sendo testados e

Diálogo: paciência

Imagem
 O Mestre dirigiu -se à assembléia para discorrer sobre a paciência e perguntou aos aprendizes: Para vocês, o que é a paciência? O primeiro aprendiz disse então: - Paciência é deixar que as coisas aconteçam no seu próprio tempo. Outro aprendiz se levantou e disse: - Paciência é dominar os instintos primitivos Outro ainda ressaltou: - Paciência é um estado de consciência superior Muito bem! - Pontuou o Mestre. Agora que vocês já sabem o conceito de paciência, gostaria de saber como ela é praticada? Um aprendiz então se pronuncia: - meditando? O Mestre então rebate: - Hum... Talvez... Poderia nos mostrar? O aprendiz então, acende uma vela, um incenso, coloca uma música suave no ambiente, senta-se sobre as pernas em posição ereta e fecha os olhos. Enquanto todos fazem o mesmo, o Mestre se levanta e sai da sala sem perturbar a meditação. Ele então retorna com uma sacola grande nas mãos e tocando suavemente nos ombros de alguns aprendizes, convida-os a seguir-lhe os passos.  De dentro da sa

Chão de terra

Imagem
 Aqui, neste chão de terra, sinto cheiro de pertencimento. Caminho a pé por estradas cheias de vidas passadas, presentes, futuras. Sujo feliz os pés com a poeira gentil, que num único passo rememora a grandeza do Criador. Sim, eu abro os braços para sentir o abraço do vento que carrega a energia linda de todo verde esperançoso. Aqui, casinha simples, chão de ardósia e rede na varanda, me sinto abundante, afortunada. Aqui, onde a manhã revela aos poucos o despertar dos animais, minha alma se mantém acordada e consciente dos porquês. Aqui, onde cada detalhe traz a mais pura sabedoria, longe das teorias mirabolantes e perto das vozes dos anjos. Pedaço de chão mais nobre não há. Aqui eu calejo feliz as mãos na enxada, pois todo amor que se dá à terra é recompensado três vezes mais. Aqui, a semente boa é reconhecida logo, pois a terra é fértil. Aqui, eu ouço mais, muito mais. Aqui a cidade é pequenina, mas na sabedoria da simplicidade, soube guardar memória. O coreto na praça, a pastelaria

Nascente

Imagem
Espelho cristalino e puro Trazes o céu ao chão Afundas meus olhos nessa paz E cravas na alma minha  O manso correr das águas Pacientemente tu moldas as pedras Retiras brandamente pontiagudas formas Doas a tua essência que é vida E a simples pedra se transforma em Pedra de rio   As árvores deitadas no teu semblante Moldam um cálice divino E dele meu espírito bebe Todo esplendor e beleza Levas, na suave correnteza Tudo o que desejo esquecer E renovada no teu seio Me inclino para enxergar A nascente de uma face mais serena.

Diálogo: solitude

Imagem
 O aprendiz caminhava ao lado do Mestre, quando ao longe avistou uma garça solitária à beira de um lago. Passou um tempo apenas contemplando a ave, que passeava lentamente por entre os galhos. Esperava que a ave estivesse à caça de alimento. O tempo passava e a garça apenas passeava graciosamente para lá e para cá. Eis que o aprendiz se pronuncia: - Mestre, aquela garça parece perdida. Caminha lentamente e não caça. Deve se sentir triste e solitária. O Mestre então lhe dirige uma questão: - Quando você está sozinho, sente-se triste e solitário? - Não, nem sempre... - responde o aprendiz - Pois bem, é possível que a garça esteja apenas no estado de solitude. Esse estado não promove o sentimento de abandono atribuído à solidão. Esse estado promove o silêncio interior, a contemplação de si e do mundo. Cada pequeno e lento passo é uma experiência completa. - diz o Mestre - Entendo... - disse o aprendiz - E como trabalhar essa solitude em um mundo tão conturbado e demandante? Recolhendo uma

A flor recusada

 Era uma vez, uma menina que adorava cultivar plantas. Dedicava uma boa parte do seu tempo misturando a terra, adubando e multiplicando mudas. Andava por todo lado com seus vasinhos, entregando-os como um presente a quem quisesse. Gostava de espalhar flores e sorrisos. Certo dia, ao ofertar um vasinho, uma pessoa o recusou. A menina percebeu aquele semblante sisudo e desconfiado. A mesma ficou intrigada, afinal, que mal haveria num pequeno vaso de planta? Recolhendo para si o vaso recusado, decidiu planta-lo num terreno próximo dali. Sempre que passava em frente, adubava e molhava a plantinha. Passado algum tempo, a primeira floração surge belíssima com cachos de pequenas flores brancas. Que alegria! A menina foi para casa buscar uma haste e linha para amarrar as flores e protegê-las do vento. Quando retornou ao longe na rua, viu a mulher que recusara o vaso, sentada na pequena mureta ao lado das flores. Com uma tesoura na mão, a mulher cortou o cacho de flores, colocou-as numa sacola,

Diálogo: Ensinamento e ação

Imagem
 O Mestre estava reunido com seus aprendizes e lhes perguntou: - Irmãos, todo bom pensador entrega de si um ensinamento importante. O que vocês têm a dizer sobre isso? Então, um aprendiz logo ergueu a mão e tendo o consentimento da palavra, disse: - Lembro-me de Platão que disse: "tente mover o mundo - o primeiro passo será mover a si mesmo" . Outro aprendiz logo se pronuncia: - Eu me recordo de Cícero: "Não basta conquistar a sabedoria, é preciso usá-la". Outro também se faz ouvir: - Pensei em Confúcio: "Aquilo que escuto, esqueço, aquilo que vejo, eu lembro e aquilo que faço, aprendo". Muitos se pronunciaram, menos um aprendiz, que recolhido ao fundo, mantivera-se apenas observador. O Mestre então, volta-se ao aprendiz calado, coloca sua mão direita em seu ombro e pergunta: - E tu, que pensas? - Ó Mestre, estava a anotar os pensamentos discorridos aqui nesta assembleia. Estava a conjecturar os pensadores aqui citados e o que ambos possuem em comum. Perce

Diálogo: Bons exemplos

Imagem
 O Mestre estava compenetrado a meditar, quando um aprendiz pede licença e lhe pergunta: - Mestre, venho ao teu encontro para elucidar-me uma questão. As ações valem mais do que mil palavras, não é mesmo? - Sem dúvida! - respondeu o Mestre - Então, posso dizer que se eu sou bom exemplo através das minhas ações, elas falam por si só. - Sim, falam alto. - Bem... O que está me incomodando é que muitos bons exemplos já passaram pela humanidade, mas poucos os seguiram. Por que razão isso acontece? - Isso acontece meu caro amigo, porque todos se colocam na posição de bons exemplos sem profundo exame de si mesmos. A pérola só nasce depois que reconhece a areia. A fome que se acha saciada rejeita o alimento.

Palavras na garrafa

Imagem
 Certa vez, um homem muito nervoso e agitado com os problemas que lhe eram apresentados encontrou-se com um monge e a ele dirigiu as seguintes palavras: - Mestre, ensina-me a manter a paz diante dos problemas. Ensina-me a mansidão e o silêncio. O monge, muito sereno e com olhar atento e acolhedor, colocou a mão levemente no ombro do homem e com muita gentileza o convidou a caminhar. Levando-o ao alto de uma colina, sentou-se no gramado e sem dizer palavra alguma, convidou o rapaz a fazer o mesmo. Passada quase uma hora, o monge entrega-lhe uma folha de papel e uma caneta. O rapaz, então pergunta: - Mestre, o que devo escrever? O monge então, aponta para uma garrafa de vidro, onde continham outras folhas de papel escritas, faz um gesto de gratidão com a cabeça levemente curvada e sai a caminhar. De posse de caneta e papel, o homem então, decide escrever sobre seus sentimentos. Foi elencando cada situação incômoda até a decisão de pedir aconselhamento ao monge. Escreveu também sobre a na

A melhor companhia

Imagem
Quando a maledicência tentar te envolver, envolva-a você com uma compaixão consciente de que palavras torpes provém de espíritos doentes.  Quando te puserem deliberadamente sob testes ou provas, seja paciente. Theodore Roosevelt uma vez disse:  “Não é o crítico que importa; nem aquele que aponta onde foi que o homem tropeçou ou como o autor das façanhas poderia ter feito melhor. O crédito pertence ao homem que está por inteiro na arena da vida, cujo rosto está manchado de poeira, suor e sangue; que luta bravamente; que erra, que decepciona, porque não há esforço sem erros e decepções; mas que, na verdade, se empenha em seus feitos; que conhece o entusiasmo, as grandes paixões; que se entrega a uma causa digna; que, na melhor das hipóteses, conhece no final o triunfo da grande conquista e que, na pior, se fracassar, ao menos fracassa ousando grandemente”. Quando  duvidarem da tua moral, não repreendas. Siga fazendo o seu melhor e deixe que o tempo de Deus cumpra Sua justiça. Quando te o

Força Interior

Imagem
Viver bem é encontrar nos instantes significados importantes, dignos de menção e gratitude. Sabemos que este é um mundo de desafios, onde as provações nos bate à porta quase que diariamente. Por isso, é necessário voltar a atenção plena à vida interior, percorrer a si mesmo e perceber a própria voz. Se observarmos bem, grande parte do que nos faz sofrer vem do acolhimento de projeções e expectativas externas. Mas se há vida interior abundante, se somos capazes de acordar toda manhã sabendo quem somos e o que desejamos para nós, então saberemos dispensar as ofertas vãs. É importante buscar a nossa própria percepção de mundo, ainda que ela reme contra a maré, afinal, já tivemos vários exemplos na história que comprovam cegueira coletiva. Isso quer dizer que decidimos percorrer determinados caminhos por estarmos minimamente conscientes do destino. Se eu aceito determinado conceito, por que razão eu aceito? Se eu me oponho à ele, por que razão me oponho? Toda palavra que chega até nós, che

A palavra certa

Imagem
Em uma conversa existem dois lados: o da escuta e o da fala. Se a gente apenas ouve, sujeitamos o outro ao monólogo. Se a gente apenas fala, sujeitamos o outro à brusca exposição. É na troca que estabelecemos o equilíbrio, a certeza de que estamos presentes com tudo o que nos cabe. Na troca, percebemos tudo o que há de comum entre nós, as coisas que nos une e até aquelas que desejamos rejeitar em nós. A verdade é que não existe palavra certa para quem não desapega de si mesmo. Toda palavra desejosa de comunhão e afeto merece ser dita e ouvida. Os caminhos pelos quais a palavra permeia cada um não nos cabe, visto que há uma jornada intrínseca a ela que também não percorremos. Quantas vezes nos apoderamos de palavras que não foram nem escritas e nem ditas por nós, mas que sabem dizer tudo o que sentimos? Isso prova o poder de convergência da palavra, que sempre irá buscar um sentido e um sentimento. E isso não depende da palavra em si, mas de cada um de nós e do nosso acolhimento. A pala

Doce caramelo

Imagem
  Meu doce caramelo Obrigada por tanto amor. Tantas vezes me abraçou em silêncio... Tantas vezes, vc me deu colo e proteção.  Sempre dócil, sempre gentil. Vamos sentir muita saudade.  Obrigada meu filho, meu Pingueto, meu docinho caramelo. Que Deus te acolha e onde quer que esteja, que você seja sempre feliz.

Hino ao Céu

Imagem
Final de tarde, céu colorido És dos meus encantos, meu preferido Nem noite, nem dia Intersecção em harmonia  Há um caminho do meio Que não é tanto e nem tamanho Estrada certa, eu creio Para meus sentidos, meu rebanho Da rosa, quero ser a haste Sustentar espinho e perfume Ser aquela que tudo une Para que o todo não se afaste Eu sinto a face oculta Esse é o meu dom e a minha dor Afino o som, aumento a escuta Busco a sintonia do amor Dessa vida eu quero é paz Quero compreender e ser compreendida Quero amar e ser capaz De superar toda ferida Mas se o viver trouxer embate Não venha de mim a ofensa O mal que por vez me abate Colherá sozinho a desavença  Não sou boa e nem ruim Sou humana, simples assim Cheia de erros e acertos De paraísos e desertos Mas o céu   que tanto amo Me conhece por inteiro Ouve o que eu clamo E ajusta o meu roteiro Lindo céu, obra de Deus Não canso de agradecer A Luz que envia aos olhos meus Desejo jamais esquecer

... Obrigada por tudo!

...  Voa  ....

Lançamento: Os Anos Dourados do Colegial

Imagem
 Boa noite queridos leitores!  Há pouco tempo nós comemoramos o dia mundial do livro e para celebrar, decidi lançar um e-book que trata do período intenso e emocionante da adolescência nos anos 90. Baixe já sua amostra e divirta-se! https://www.amazon.com.br/dp/B093RJDWV7/ref=mp_s_a_1_1?dchild=1&keywords=os+anos+dourados+do+colegial&qid=1619660136&sr=8-1

Quando cai o véu

Imagem
Quando cai o véu, os olhos vislumbram o amor latente  Quando cai o véu, a ignorância fica desnuda, envergonhada Quando cai o véu, a inimizade é arrebatada Quando cai o véu, o orgulho e a soberba encolhem Quando cai o véu, o perdão nasce Quando cai o véu, a falha deixa de ser do outro Quando cai o véu, tudo é visto pelo seu real tamanho Não nos enganemos nas turvas camadas de ilusões que nos cercam. Homens santos foram decapitados, crucificados por aqueles que se diziam portadores da sabedoria divina. Foram humilhados por viverem na verdade. Foram considerados subversivos, hereges, rebeldes, desobedientes, exclusivistas... Então o véu caiu. Os exaltados foram humilhados, não por outros, mas pior, por si mesmos. Tiveram de pular o abismo de sua própria arrogância. Então queridos amigos de jornada, deixemos cair os véus. Sejamos humildes e cautelosos em nossos juízos para não sermos nossos algozes. Não nos esqueçamos da lição dos lírios:  Olhem os lírios do campo, que não trabalham nem te

A música de Cristo

Imagem
 Boa noite queridos leitores. Esta semana nós tivemos o dia mundial do livro e para não deixar essa data tão importante passar em branco, resolvi fazer um vídeo com um conto que escrevi. Espero que vocês gostem. Um beijo!! Viva o livro e o cultivo dos sonhos bons! A musica de Cristo

Quando há saudade

Imagem
Hoje eu quero abraçar você que chora a saudade. Deixe-me envolver suas lágrimas com o afeto dessas palavras que vertem diretamente da alma. É verdade que o corpo pode morrer e junto dele, a voz, o tato, o toque... Mas há algo presente em toda vida que nunca se vai: o amor plantado. O amor vence todas as barreiras, ele é eterno. Ele é o címbalo que toca e liga o Céu e a Terra. Talvez essa dor que agora remexe as areias da tristeza pela ausência esteja tornando turva a água dos seus olhos. Porém, saiba que toda areia decanta em maré calma. E quando isso acontece, a vida se exibe majestosa e linda. A boa lembrança é assim. Ela emerge a vida do jeitinho que foi, mas agora, você a sente em toda plenitude. A roda de conversa no café da tarde nunca foi tão intensa como agora é. Todo detalhe se torna grande. A percepção aumentou porque agora a conversa é de alma para alma. Haverá o tempo em que você será capaz de sentir a presença querida dos seus afetos no coração sem qualquer tipo de pesar.

O pouso da gaivota

Imagem
Acordei no meio da madrugada para escrever. É estranho como acontece de ter tantas palavras precisando verter suas águas e ao mesmo tempo lutando para se manter apenas no lado de dentro. Não sei se permaneço navegando a superfície desse mar revolto ou se me disponho a prender o ar para mergulhar e ver o que tem no fundo. Ambas as situações exigem desassossego. O mar de fora pede equilíbrio e flexibilidade e o mar de dentro pede fôlego e coragem. Eu bem que tento abarcar tudo, mas quando o horizonte não revela um porto, me sinto à deriva. As mãos estão calejadas, talvez eu tenha segurado o timão tempo demais. E não importa onde eu jogue a minha âncora, as areias serão remexidas. Uma voz me diz: enfrente! Outra voz me diz: em frente! Eu preciso escolher... Eu preciso escolher? Precisar é verbo desesperado. Então eu largo o timão. Deito-me no assoalho do navio e percebo uma gaivota no mastro. Ela parece serena. De repente mar, timão, âncora, areia ou porto se turvam na evaporação do pensa

Meu lugar seguro

Imagem
Meu lugar seguro é onde a palavra se manifesta E reverbera pensamento, emoção e sentimento. Meu lugar seguro é onde eu posso falar sem ninguém precisar ouvir porque no final das contas, o diálogo é entre eu e a minha alma. Aqui eu derramo a essência do momento, e me vejo, me leio, me calo, me interpreto, me conheço. Entre aqui se quiser, e seja bem-vindo. Meu diário nunca será secreto porque sei que nada é realmente meu. Sim, este lugar é seguro porque não exige nada, apenas existe. Aqui eu posso chegar sem ser notada e sair sem adeus. Aqui eu posso sonhar sem pudor ou castigo. Aqui eu posso encarar um furacão, paralisar um raio ou construir minha caverna. Aqui eu posso voar, beijar as musas e dançar com os anjos. Aqui eu posso precipitar as dores e rancores, medos e desacertos.  No meu lugar seguro tudo é amizade e convergência. Aqui os questionamentos não são um afronta mas sim, uma busca. Aqui a matéria é o que brota na fonte das ideias e o alimento é inesgotável. Este é meu confort

Reticências

Somos responsáveis pelo que dizemos e pelo silêncio... Somos responsáveis pelas ações e pela inércia... Somos responsáveis pelos sonhos e pela realidade... Somos responsáveis pelo plantio e pela colheita... Somos responsáveis pelo consciente e inconsciente... Somos responsáveis pelo ser e pelo não ser... Somos responsáveis pela gratidão e pela ingratidão... Somos responsáveis por tudo o que vem do viver. V(IDA) é uma jornada cujo rumo à Deus pertence. E eu entrego minha vida, minhas escolhas, minhas palavras e ações. Eu entrego tudo. Como na parábola dos talentos, eu recebi a vida. Quero devolver com gratidão no peito toda benevolência. Não nego meus espinhos, e por vezes, a rosa fica no broto. Ela deseja florir, deseja cumprir o ciclo, mas há um tempo que precisa ser respeitado. Mas eu continuo a regar o jardim, com lágrimas, com risos breves, com medo de errar e com vontade de acertar.  Por hora Pai, embora eu não mereça, me deite no Teu colo. Deixa eu sentir novamente a suavidade do

A magia do espelho

Uma vez eu conheci uma menina doce. Ela inventava passos de ballet sem saber o que era plié ou fondu. Ela simplesmente se entregava ao que vira uma vez pela televisão: lindas meninas vestidas de saia de tutu, rodopiando toda graça e beleza. Ficava hipnotizada com o movimento leve das mãos e punhos, ao que ela associava a plumas de ganso flutuando harmonicamente num sopro suave de vento. O espelho enferrujado do quartinho dos fundos a viu ensaiar algumas vezes. O sol também a viu por minúscula fresta da janela entreaberta, reluzindo num raio o holofote de um palco vazio de gente. Era só ela e a música imaginária, uma mistura de flauta, piano e harpa. Os pés tortos nunca a incomodaram. Ela erguia o calcanhar ao máximo, colocando nos dedos o peso de seu corpinho magro. E apesar do esforço, nada era dor. Com os olhinhos fechados, quase levitava. Vez ou outra ela desequilibrava, mas a queda era parte de um desafio entre ela e um sonho: ser uma bailarina.  Encontrou encostada na lateral da v

Carta a Deus

Imagem
  Deus, Criador nosso e Senhor de todas as coisas. Hoje venho com o coração humilde, porém grato, muito grato, por Sua Santa Providência. Em todos os momentos eu desejo viver em Ti, e naqueles em que as provações se tornam fardos um tanto pesados, é no Teu colo que entrego meu espírito. É o Senhor o primeiro ouvido e o primeiro ombro. É o Senhor que sempre sorri e chora comigo. É o Senhor, a quem eu desejo merecer chamar de Pai. É a Sua voz que ouço quando busco o silêncio das montanhas. É a Sua Luz que invade a janela da minha alma quando a alegria me encontra. É o Teu sopro que sinto, quando a face brilhosa de lágrimas agonia as esperanças. Obrigada meu Pai, por me permitir florescer como a uma rosa, que abraça os espinhos para finalmente desabrochar voltada para o céu. Obrigada por me deixar voltar para casa de vez em quando, e sentir a acolhida gentil, como num final de tarde na rede de deitar todo amor e ternura. Obrigada por me acolher na sombra da Sua árvore da vida. Obrigada po

Quando é amor

Imagem
Um anjo pousou no meu caminho. Abraçou-me com asas de amor e cumplicidade. Com ele, sinto alçar voo todos os dias, seja para atravessar duras pedras ou para deleitar paraísos. Esse anjo reveste de encanto os meus dias e consegue cobrir suavemente meus olhos quando deles me escapam as esperanças. Sua voz, sempre humana e pacífica é a música que para sempre se impregnou no meu espírito. Seu espírito, nobre e humilde, gentil e caridoso, sempre mostra no silêncio suas grandezas. Suas ações falam por ele, que desta vida, faz questão de plantar e colher sorrisos. Ele que é digno de todas as honrarias celestes por sua pureza linda, sempre se faz pequeno. Talvez esse anjo nem saiba o tamanho de sua grandeza. Sua alma me encantou desde o princípio. Seus olhos, mandalas que espelham tons entre o doce mel e o verde esperança, sempre estonteantes, são portas para um vale de sonhos. A rosa presenteada estava em minhas mãos, e na penumbra da noite, embriagada pelo aroma da flor e na presença do amor

A palavra é uma espada

Imagem
A palavra é uma espada. Ela corta para os dois lados pois pode se tornar uma arma de ataque ou defesa. Ela pode se erguer na luta dos bons com verbos que suplicam a ação na esperança pacífica dos ideais ou pode sangrar no ódio, na dor e na vingança. Honrar a palavra é reconhecer seu potencial criador. É perceber a si mesmo nas intenções com que são proferidas, pensadas ou redigidas. Se houver dúvida sobre qual palavra usar, prefira o silêncio. Um sábio e querido Mestre uma vez disse que o que contamina o homem não é o que entra pela boca, mas o que sai dela. É preciso entender a sacralidade da palavra e levar a sério o poder que emerge dela. Palavra é vibração, é chamamento... É a oração que nos arrepia a espinha na certeza de encontrar o caminho da Providência. A palavra é uma espada que pode ter o fio reluzente, capaz de conduzir como um farol, ou ter corte que segrega, reduz, mata. A palavra não é uma espada destinada para a guerra, mas um instrumento da sabedoria. Ninguém deveria e