O Sol tem que brilhar

A flor venceu o cimento.
Em meio à concretude imposta
Ela acreditou no solo fértil
E insistiu em ver a luz do Sol
Que sempre esquentou suas raízes.

Não foi preciso mais que uma
Minúscula rachadura.
Nada além de um breve Sol,
Desses amenos que se exibem
Após a tempestade.

A sementinha se viu livre
E pela primeira vez pôde ver
O amarelo alaranjado penetrando
O vão rendido.

Do matinho crescido
Abre-se uma pequena flor
Também amarela
Irradiando a cor de um Sol
Que há muito tempo já brilhava
Dentro de si.


Comentários

  1. Lindíssimas palavras! A poesia é a arte da natureza. A natureza é a poesia da vida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Diálogo: Muito X Pouco

Somos heróis

Documentário Três Estranhos Idênticos - Ensaio sobre uma ciência desumana